Especialização ou Mestrado: qual escolher {Parte 2}

Esse post é dedicado a você que acabou de concluir a graduação e está pensando qual será o próximo passo da sua formação. Também é feito para aquelas pessoas que querem voltar à estudar mas não sabem se é melhor fazer uma especialização ou um mestrado. Dividirei em três partes para ficar bem detalhado e explicadinho. Este é o segundo post da série, leia o primeiro que falo sobre especialização.

 

Foto: Reprodução / Stokpic
Foto: Reprodução / Stokpic

Como no primeiro post falei bastante sobre especialização, nesse vou dar mais atenção ao mestrado. Vou explicar como ele funciona e o que é preciso para se tornar um mestrando. Vamos ver se o mestrado é mais a sua praia que a especialização?

Mestrado

Apesar de também ser uma pós-graduação, o mestrado é bastante diferente em sua intencionalidade. Aqui você se transformará em um pós-graduado strito sensu. Só aposte no mestrado se sua intenção for desenvolver uma pesquisa, melhorar suas aptidões humanas (como pensar mais amplamente – o famoso “sair da caixinha” -, desenvolver seu lado crítico e refletir sobre sua área de atuação) e se tornar um professor na área.

O mestrado não é pago nas instituições públicas, apenas nas privadas. Mas, tanto na universidade pública quanto na privada, há a possibilidade de você ganhar uma bolsa de estudo e será suficiente para pagar o seu mestrado. As bolsas são oferecidas pelo governo (tanto federal quanto estadual) para que você possa se dedicar integralmente aos estudos, tanto que você não poderá ter vínculo empregatício durante o período da bolsa.

Para se fazer o mestrado há uma seleção bem mais exigente do que na especialização. É necessário fazer prova, ter um currículo acadêmico (o famoso lattes) com nota suficiente para entrar no programa, apresentar um projeto de pesquisa que esteja de acordo com as áreas estudadas pelo mestrado, ter proficiência em uma língua estrangeira e passar por uma entrevista. Vou explicar mais detalhadamente cada uma dessas etapas:

– Prova do mestrado: para fazer essa prova você terá que ler alguns livros indicados pela instituição e a prova conterá perguntas relacionadas a esses livros. Normalmente, eles não só avaliam o seu conhecimento sobre o tema, mas também a sua forma de escrever (é fundamental que você saiba muito bem o português e use-o da forma culta e acadêmica) e o seu pensamento crítico. Por isso, é muito importante que você tenha tido experiências acadêmicas anteriores para ter possibilidades de passar nessa prova. Isso inclui ter escrito alguns artigos científicos e ter tido alguma experiência com pesquisa (nem que tenha sido apenas o seu TCC).

– Currículo acadêmico: tem pouco a ver com o seu currículo apresentado para se candidatar a uma vaga de emprego. Esse currículo deve ser criado na plataforma lattes e o que será avaliado principalmente serão as suas experiências acadêmicas, como a sua graduação, artigos científicos apresentados em congresso ou publicados em revistas científicas, iniciação científica na graduação, participação em congressos e etc. Suas experiências profissionais contam também, mas não são tão valorizadas quanto os itens acima, apenas se sua experiência for em docência. Se você tiver feito uma pós-graduação latu sensu também conta aqui.

– Projeto de pesquisa: como o foco principal no mestrado é a pesquisa, é preciso que você apresente o que estudará nos próximos anos. É por meio do projeto que vão avaliar se você tem uma pesquisa que se enquadra nas linhas do programa. Por exemplo: se você decide fazer mestrado em biologia, você terá que desenvolver um projeto de pesquisa que se encaixe em alguma das linhas de pesquisa, que na Unisinos são conservação e manejo de ecossistemas e da vida silvestre, diversidade animal e vegetal, ecologia de população e comunidades. Essas linhas de pesquisa vão variar conforme a área de concentração do mestrado, por isso, é importante que você ache uma que tenha a ver com seus projetos de estudo.

– Proficiência em língua estrangeira: não se assuste, essa pode parecer a parte mais difícil da seleção, mas ela não é. Em algumas instituições, inclusive, pedirá que você apresente um certificado após entrar no mestrado. Há uma enorme gama de línguas que você pode provar a sua proficiência, o espanhol é uma delas. Essa parte varia muito conforme a instituição, por isso, é importante você dar uma olhada no edital. Qualquer coisa, para se garantir, faça umas aulas de inglês e se foque nas traduções (porque é isso basicamente a prova).

– Entrevista para a seleção: essa é a parte em que os professores vão te conhecer e saber das suas reais intenções com o mestrado. Normalmente, pede-se que você explique o porquê de querer fazer o mestrado, de estudar o que você propôs, a relevância de seu projeto de estudo. As entrevistas são feitas para conhecer quem é de fora, saber se eles poderão confiar em você (caso o estudante desista na metade do mestrado, a instituição perde pontos com a CAPES e isso não é bom para elas, porque perdem bolsas e nota), etc. Por isso, se mostre muito interessado e comprometido com o mestrado.

No mestrado, o tempo de estudo é de dois anos em que você terá que fazer todas as cargas horarias exigidas, como as aulas, a dissertação e outras horas de atividades complementares. O envolvimento é diferente do que na especialização. Fazer mestrado é como fazer uma nova graduação.

A dissertação, que é o principal objetivo do mestrado, é um trabalho enorme, com várias etapas. Desde a elaboração do projeto (que é feito anteriormente a sua entrada no programa) até a defesa são muitos meses de envolvimento e estudos. Sim, você terá que ler muito. Sim, você terá que escrever muito. Sim, você terá que apagar muitas das páginas que escreveu. Sim, é bastante cansativo e desgastante, mas ao mesmo tempo muito prazeroso e satisfatório quando estamos estudando algo que amamos.

Atualmente, existem alguns mestrados profissionais que são mais voltados para o lado prático da profissão. É uma ótima opção para quem está no meio termo entre mestrado e especialização. As exigências são as mesmas do mestrado, você terá que fazer aula e a dissertação. Mas enquanto o mestrado acadêmico tem um lado mais científico, esse se volta mais para o lado profissional, mudando um pouco os temas de pesquisa e as metodologias utilizadas.

Acho que por meio desse post deu para entender bem melhor o que é o mestrado, não? No próximo falarei sobre as vantagens e desvantagens de cada um para tentar te ajudar a tomar a decisão final.

Mestrado ou especialização? Já se decidiu? Conte a sua experiência nas pós-graduações!

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s