Planeje suas férias {o que farei nos meus dias de descanso}

Foto: Reprodução/ Tuula Vintage
Foto: Reprodução/ Tuula Vintage

Janeiro já está aí e a gente já sabe que está chegando o momento de tirar férias. Eu mais do que nunca desejo alguns dias para me curtir e aproveitar tudo que amo fazer. Esse ano, decidi que queria umas férias planejadas e não pense que isso queira dizer que tudo estará programado e com hora marcada porque não é bem isso que quero para os meus dias de descanso.

Estou já há umas duas semanas fazendo uma listinha de coisas que quero fazer e que acabo não tendo tempo para fazer no meu dia a dia por conta da correria diária. São coisas que me dão prazer, mas que também vão me ajudar a começar 2015 mais organizada e feliz.

Vou compartilhar com vocês alguns itens da minhas listinha:

  • Organizar o guarda-roupa: é uma tarefa chata, mas que de uns tempos para cá tenho gostado de fazer de tempos em tempos. É ótimo revirar o armário e achar algumas preciosidades que não estava usando apenas por estar escondida no fundo da gaveta. Também gosto de me desfazer de coisas que não tenho usado. Sempre fui super apegada, mas tenho aprendido a eliminar tudo que não tem mais utilidade.
  • Organizar a escrivaninha: vocês devem estar pensando que sou a louca da arrumação. Não, não é assim. Aqui na verdade não é apenas organizar, mas deixar minha escrivaninha mais com a minha cara e tornar meu quarto mais útil. Quero comprar alguns itens que possam me ajudar a deixar tudo que tenho no devido lugar, sem ficar nada jogado em cima da escrivaninha. Vamos ver se consigo, né!
  • Ler muito: quero ler muito, mas ler por prazer, livros gostosos e que me conectem do começo ao fim. Já tenho alguns aqui em casa que quero ler e pretendo assinar o Kindle Unlimited para achar uns livros interessantes.
  • Investir na vida de blogueira: como tenho gostado muito de postar e tenho visto que, mesmo com todas as minhas atividades rotineiras, tenho mantido certa frequência de posts, quero investir nisso e as férias são um bom momento para colocar a casa em ordem. Fazer posts reservas, melhorar o SEO, dar uma arrumada no layout e organizar as redes sociais. Também é um ótimo momento para planejar um calendário de posts e fazer tudo o que possa ser feito e que não dá tempo de fazer em outros dias.
  • Curtir quem eu amo: esse é o momento de passar horas e horas sem se preocupar com as pessoas que mais amo, só jogando conversa fora e curtindo um churrasquinho, uma piscininha e o que mais aparecer. Não ter desculpas de “não tenho tempo” e fazer tudo o que eu puder para estar com essas pessoas queridas.
  • Ver o mar: isso não sai da minha listinha de férias. Todo ano preciso ver o mar, olhar para ele e me renovar. Amo ir para a praia e é o momento que me sinto de férias, sem realmente se preocupar com nada, nem com checar redes sociais, celular, nem nada. Só penso em relaxar, comer muito e olhar o mar. Se for possível, também gosto de pegar uma corzinha, claro!
  • Planejar o novo ano: também pretendo tirar umas horinhas dessas férias para planejar meu ano novo e colocar algumas metas e objetivos, mas isso, prometo contar mais em um próximo post.

Esta listinha está um pouco extensa, acho que precisarei de no mínimo uns dois meses para fazer tudo isso, pena que terei, no máximo, umas três semanas… Só sei que por mais que ame o que faço, amo também estar de férias e ter esse tempinho só para mim em que só eu decido o que faço ou deixo de fazer.

E vocês, já estão com suas listinhas de férias prontas? Planeje suas férias!

GTD: o que mudou no último mês

Essa é uma série de posts que conto sobre a minha implantação e adaptação ao método GTD, desenvolvido pelo norte-americano David Allen e publicada no livro Getting Things Done (“A arte de fazer acontecer”). Para acompanhar a série, basta clicar na tag “Minha experiência com o GTD“.

Foto: Reprodução / Pinterest
Foto: Reprodução / Pinterest

Fiz o meu último post sobre GTD no dia 8 de novembro. Quer dizer que já faz quase um mês que não compartilho mais nada sobre a minha experiência com o método. De lá pra cá algumas coisas mudaram e é isso que vou contar para vocês hoje.

Para quem tem lido meus posts com alguma frequência deve ter percebido que desde que o GTD entrou na minha vida virei uma completa viciada em assuntos sobre produtividade/organização. Por isso, a cada dia mudo um pouco a minha maneira de usar o método e vou deixando-o mais com a minha cara.

Terminei de ler o livro do David Allen e percebi que ele é bastante fechado em relação ao seu método e isso não me agrada. Gosto de dar a minha cara para as coisas e é assim que tenho feito com o GTD. A cada dia ele ganha o meu jeito, vou alterando para deixá-lo mais prático e que funcione melhor para as minhas necessidades.

Acabei de definir, por exemplo, que não preciso ter uma agenda, como o Google Calendar. Percebi que estava deixando de lado e não estava mais tendo tanta importância. Como quase não tenho compromisso, acho que a agenda acaba perdendo a sua importância.

No entanto, para não me esquecer da data dos compromissos, indico no Todoist o dia que tenho que fazer algo. O aplicativo deixa que a gente marque o dia e a data do compromisso e, inclusive, pode te mandar alertas tanto pelo celular quanto no e-mail.

Sobre o Evernote, ele continua sendo um aplicativo fantástico e que me ajuda cada dia mais a organizar tudo que preciso. Gosto muito de gerenciar minhas pautas das matérias que escrevo nele, de anotar ideias para posts futuros, guardar para referência sites, pdfs, livros, etc. Além disso, ele é um tremendo suporte para as minhas revisões semanais. É nele que consigo priorizar minhas tarefas para depois passar diariamente para o Todoist conforme o que designo para o dia (falarei mais sobre isso em um post futuro sobre revisão semanal).

Tenho adotado uma lógica de guardar a menor quantidade de papel possível. Sempre que posso dou uma olhada em meus papéis e vejo se preciso jogar algo fora. Não vale a pena ficar guardando papel sem necessidade. O que fico com dúvida se pode ter alguma utilidade algum dia, tiro foto e mando para o Evernote. O restante dos papéis ficam armazenados no meu lindo fichário.

Estou tentando entrar na ideia do minimalismo de que o menos é mais e tenho jogado o máximo de coisas possíveis fora. Livros que tenho digitalizados, por exemplo, não estou tendo dó e estou eliminando todos, até porque não tenho lugar para mais livros e como quero comprar novos, preciso de espaço. Sigo o que a Thais disse em seu livro: se não tiver espaço para guardar, não compre até achar um lugar. Já deixei programado para as minhas férias limpezas em meus armários e minha escrivaninha, quero jogar tudo que não tem utilidade fora.

Para realizar as tarefas, tenho utilizado o método Pomodoro e tem surtido um efeito muito bom. Tenho me concentrado muito mais e realizado mais coisas em menos tempo. Como ele dá um intervalo de cinco minutos a cada 25, acabo realizando atividades banais e de rotina durante esses 5 minutos, como arrumar algumas roupas que estão fora do armário, ler algum pequeno trecho de um livro, olhar algum site, responder What’s, etc.

Para controlar o tempo, tenho utilizado o aplicativo DropTime. Ele é ótimo porque deixa marcadinho quanto tempo você produziu no dia e isso é um bom controle para saber se estamos dedicando tempo suficiente para fazer as nossas atividades. Mas só tenho controlado o tempo para atividades que demandam mais concentração, como fazer uma matéria ou estudar algo para o mestrado. O restante deixo o tempo mais livre e me permito algumas distrações sem tempo pré-determinado.

Resumo do GTD

Foto: Reprodução / Pinterest
Foto: Reprodução / Pinterest

Acho que é isso, resumidamente faço assim:

  1. Nas sextas-feiras faço uma bela de uma revisão semanal apontando as prioridades para a próxima semana e organizando o meu sistema, ou seja, eliminando notas desnecessárias, esvaziando a caixa de e-mails e anotando as ações, etc;
  2. Diariamente, às vezes na noite anterior ou logo quando acordo, anoto no Todoist o que quero fazer no dia. Também se aparece algo de novo, jogo no Todoist que ele manda automaticamente para o Evernote como uma nota nova;
  3. No Todoist indico o que é mais prioritário para o dia e vou realizando o que tenho de mais importante para aquele dia;
  4. Todo dia dou uma checada no Evernote para arrumar as minhas notas e deixar tudo organizado. Também indico o andamento dos projetos e do que planejei para a semana;
  5. Para realizar as tarefas, ligo meu timer no Pomodoro e vou fazendo até terminar a minha meta diária, seja de leitura, escrita ou qualquer coisa que tenho que fazer.

Sempre que tiver mudado algo no meu uso do GTD volto aqui para compartilhar com vocês, combinado? Mas, conforme vou me adaptando ao modo e fazendo ele funcionar do meu jeito, as mudanças acabam ficando mais esparsas.

Como tem sido sua implementação do GTD? Não deixe de compartilhar coma  gente!

O post que fiz para o Todoist

Foto: Reprodução / Pinterest
Foto: Reprodução / Pinterest

O post de hoje é rapidinho, só para compartilhar com vocês a matéria/post que fiz para o blog Todoist. Quem não sabe nada sobre o Todoist, vale a pena dar uma visitada nos posts abaixo e conferir ou dar uma passeio pela categoria Home Office.

Chega de papo, cliquem e leiam a matéria e saibam como melhorar a sua produtividade com esse aplicativo que tem me ajudado um monte:

http://blog.todoist.com/pt/2014/12/04/organizacao-e-produtividade-mestrado-como-todoist-mudou-minha-vida/

Organizando o mês: dicas para aumentar a sua produtividade

Foto: Reprodução/ A whole lot of Tiny
Foto: Reprodução/ A whole lot of Tiny

Desde o mês passado resolvi que tiraria um tempo do meu dia para organizar o mês seguinte. Juntamente com a revisão semanal, organizar o mês é algo que tem me ajudado a cumprir metas e aumentar a produtividade. Como já passei por um mês de “teste”, acho que já posso compartilhar com vocês algumas dicas que apliquei e outras que aprendi.

  • Crie metas: uma meta mensal é um pouco mais ampla e abrangente que uma meta semanal. Essas metas servirão como guias para você apontar o que poderá realizar na próxima semana quando fizer a revisão semanal.
  • Nunca estipule mais do que você pode cumprir: ter noção de um mês tem apenas 30 dias é importante. Não estipule mais do que você possa cumprir porque isso irá te desapontar e, ao invés de ajudar, irá atrapalhar sua produtividade, já que ficará pensando nas coisas que não consegue fazer.
  •  Relembre seus compromissos e confira se estão na agenda: é muito importante manter a agenda atualizada e esse é um bom momento para você revisá-la e marcar os compromissos que ainda não estão lá. Também é legal que, ao olhar mensalmente, você tem uma dimensão melhor dos seus compromissos e do seu tempo no próximo mês.
  • Estipule números para os seus objetivos: colocar que você quer escrever X páginas no mês é muito mais palpável do que colocar que você quer escrever. E isso vale para qualquer objetivo, como polpar dinheiro, ler livros, fazer posts, etc.
  • Não valorize apenas um lado da sua vida: não estabeleça apenas metas profissionais. Esse é o momento de você pensar nos seus sonhos e objetivos a longo prazo e estabelecer algumas metas para eles. Priorize todas as vertentes da sua vida: família, amigos, casa, trabalho, estudos; pense em tudo e trace metas para todos. Isso irá ajudar a diversificar sua vida e a fazer todos os seus projetos, sejam eles pessoais ou profissionais, andarem.
  • Olhe semanalmente: de nada adianta você fazer um super planejamento e ele ficar esquecido até o mês que vem. Olhe no mínimo toda semana e vá anotando como as semanas foram andando e se elas estão caminhando segundo aquilo que você traçou. Surpresas e imprevistos sempre acontecem, mas tente gastar a maior parte do seu dia para cumprir aquilo que você propôs.
  • Faça o quanto antes o que você puder: não deixe para cumprir tudo na última semana do mês, o que você puder cumprir na primeira semana, cumpra. Isso irá tirar um grande peso e te incentivar a cumprir o restante das metas.
  • Divida as tarefas grandes em tarefas menores: qualquer objetivo maior que você tiver, como uma viagem ou a compra de um apartamento, divida em tarefas menores e alcançáveis em um mês. Acredite, ajudará imensamente tanto no andamento do mês quanto na realização desses grandes objetivos.

Faça já hoje e veja a diferença no seu mês. Só não se esqueça que estamos em dezembro, um mês mais leve e com muitas comemorações, por isso, as expectativas e o número de metas têm que ser menores.

Depois não esqueça de contar como foi o seu mês mais organizado!

20 dias com o GTD: o que mudou?

Essa é uma série de posts que conto sobre a minha implantação e adaptação ao método GTD, desenvolvido pelo norte-americano David Allen e publicada no livro Getting Things Done (“A arte de fazer acontecer”). Para acompanhar a série, basta clicar na tag “Minha experiência com o GTD“.

Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

Pois é, já fazem 10 dias desde aquele enorme texto em que contava sobre a aplicação do método de organização, Getting Things Done (GTD), na minha vida. O que mudou de lá para cá é o que vou contar nesse texto.

Primeiro, preciso falar que tudo que envolve o GTD é complexo e sua aplicação é gradual e lenta. Não adianta ter pressa, aos poucos vamos pegando o jeito e o método acaba ficando mais natural em nossas vidas, assim como vamos o adaptando as nossas necessidades.

Desde que tive o primeiro contato com o GTD passei a ler muita, mas muita coisa a respeito tanto do método quanto sobre produtividade e organização e, por isso, venho tentando aperfeiçoar minha vida com o que tenho aprendido.

GTD: vale a pena insistir

Como já dito, o método é bastante complicado e, mesmo depois de 20 dias com ele, ainda sinto muitas dificuldades em vários passos, mas também sinto que tenho melhorado a cada dia. O meu pior problema é planejar a longo prazo, o que acredito ser a principal vantagem desse método de organização em relação aos outros.

Tenho planos, tenho metas, mas não consegui ainda passar para o papel. Nesses vinte dias iniciais minha vida esteve bastante atribulado com várias tarefas urgentes/importantes para serem feitas, por isso trabalhei muito no imediatismo e acho que isso não é bom.

Mas, acredito que a partir da semana que vem a minha vida estará mais tranquila e conseguirei trabalhar melhor nesse sentido e melhorar no quesito de planejamento. Só tenho certeza, e cada dia mais, que vale a pena insistir no GTD. Quero muito chegar ao ponto que olharei para trás e verei como minha vida está diferente e organizada.

Por que é importante se organizar?

Estava lendo os capítulos iniciais do livro da Thais Godinho e ela fala que se organizar tem mais a ver com realização pessoal do que com bitolação. Que se organizar não precisa ser nada exagerado que não deixe as coisas naturais acontecerem, mas que dá sentido para tudo o que você faz. E é por isso que pretendo ser uma pessoa organizada.

Quero cada dia mais ter um caminho certo a seguir e saber quais passos tenho que dar e é essa a intenção do GTD. Ele não é só para nos organizarmos diante das tarefas do trabalho, dos compromissos, mas é um método para nos transformar em pessoas mais seguras, mais criativas e mais ativas. Então, sendo assim, quem é que não quer ser uma pessoa organizada?

Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

O que mudou de 10 dias para cá

Tenho a cada dia compreendido melhor o que é o método e como posso utilizá-lo de uma maneira eficiente para a minha vida. No post em que falo sobre as dicas de produtividade  apontei algumas das atividades que tenho adotado para melhorar a minha produtividade. Algumas tem a ver com o GTD, outras são apenas dicas que fazem realmente a produtividade melhorar, como se focar na tarefa e deixar o Facebook fechado.

Mas, o Todoist, por exemplo, é algo que tem me ajudado bastante com o GTD. Coloco nele, todas as minhas tarefas que pretendo realizar no dia e também as tarefas mais urgentes que vão chegando para serem realizadas. Gosto do aplicativo porque ele tem uma ferramenta que controla a nossa produtividade e, para mim, é um ótimo incentivador.

Evernote continua sendo o aplicativo mais lindo que já existiu, mas ainda acho que não consigo explorar todas as potencialidades dele, por isso, tenho lido bastante a respeito. Assim que achar que estou com um conhecimento adequado da ferramenta, prometo fazer um post só dele, falando sobre todas as maravilhas que ele faz.

Já o Google Calendar continua sendo a minha agenda. Pensei em trocar para a agenda da Apple, mas acabei desistindo porque ela não oferece algumas funcionalidades que acho interessante no Google Calendar. No entanto, tenho mudado um pouco a minha forma de interagir com ela. Falei no primeiro post que tentava programar todo o meu dia e que não era isso que o GTD orientava. Por isso, estou tentando me adaptar a forma que o GTD diz para ser feito e só marcando na agenda o que é compromisso com data marcada. Isso deixa o meu dia mais flexível, mas também abre brecha para procrastinação e distração. Mas, tenho tentado, vamos ver como será os próximos dias.

Em relação aos papéis tenho deixado de lado o meu planner e concentrado tudo no Todoist e no Evernote. Percebi que estava gastando muito tempo com o planner e que não tinha um efeito interessante. Tenho pensado em outras formas de organizar esse planner que possam ser mais coerentes com as minhas necessidades e com o método. Se fizer algo até a nossa próxima atualização, compartilho com vocês.

Mas o fichário tem funcionado super bem e deu fim aos meus papéis jogados pelo quarto. Além de ser ótimo para guardar receitas médicas, pedidos de exame (estou naquela fase do ano de fazer exames de rotina).

Agora o que passei a aplicar de maneira efetiva e percebi que é uma maravilha e super necessária para fazer o método dar certo é a revisão semanal. É nesse momento que paramos e alisamos tudo o que está em andamento, em que podemos focar mais nas próximas semanas e analisar o andamento da semana que passou. Todo mundo que tem o GTD como método de organização fala da importância da revisão semanal e, com as ótimas revisões que fiz nessas últimas duas semanas, percebi que realmente é importante e fundamental para o método dar certo e evoluir.

Ainda não terminei de ler o livro do David Allen, tenho achado um pouco desinteressante. Não sei se é porque já li muita coisa sobre e o que tenho lido no livro parece mais enrolação do que me fazer aprofundar no assunto ou se é a parte em que estou. Mas persistirei e pretendo terminar logo.

Bem, acho que por hoje é só. Continuarei sempre que possível trazendo atualizações da minha rotina com o GTD. Primeiro porque gosto de ler e perceber o quanto evolui (ou não) e segundo que é a possibilidade que tenho de compartilhar com vocês esse método maravilhoso e que tem mudado a minha vida.

Você começou a usar o GTD? Como tem sido suas impressões iniciais?

6 dicas de produtividade

Foto: Reprodução/ Pixabay
Foto: Reprodução/ Pixabay

Sei que tenho falado muito sobre isso aqui, mas é o que tem me movido nos últimos dias: produtividade e maneiras de fazer o dia render mais. Sabe aquela sensação de chegar de noite e você dizer para si mesma: dever cumprido! Pois é, é isso que tenho sentido nos últimos dias, mais precisamente desde que implantei o GTD na minha vida.

Tenho feito muitas coisas, tratado as minhas tarefas de uma maneira muito diferente. Dificilmente deixo as coisas para depois quando sei que posso realizar naquele momento. E isso tem me deixado muito mais leve e feliz. Por isso, quero compartilhar algumas dicas para você. Encarem esse post como um complemento do passado, porque é isso mesmo que ele é. Seguem as dicas então:

1. Esquecer o Facebook

Não sei vocês, mas o lugar que eu mais desperdiço tempo na minha vida é com o Facebook. É muito fácil a gente entrar nele só para dar uma conferidinha em algo e passar horas e horas por lá, lendo e vendo coisas que muitas vezes não mudam em nada a nossa vida.

Eu tenho alguns sites e blogs que acabo só acompanhando por lá, para não perder o costume de ler as postagens, pretendo criar uma listinha e sempre que tiver um tempinho, acessarei esses sites que mais curto.

Já andei até pensando em fechar meu Facebook, mas, querendo ou não, ele tem a sua utilidade e acho que ainda vale a pena mantê-la. A questão é apenas me controlar e só entrar bem de vez em quando mesmo, algo em torno de uma vez por dia e só para olhar o que realmente importa, como mensagens e notificações.

2. Traçar listas dos afazeres diários

Coloque algumas metas para você. Liste o que você tem e quer fazer em tal dia, isso ajuda a não perder o foco e você sempre sabe qual vai ser a sua próxima tarefa e quantos itens ainda faltam para acabar seu dia.

O método GTD é um pouco contra essas listas, mas o que eu faço é olhar a minha lista de próximas ações e selecionar as que eu realmente preciso realizar no dia de hoje. A partir daí trabalho nelas, se sobrar um tempinho, vou para as outras ações que ainda me restam. Eu também tenho sempre uma tarefa ao menos para cada projeto meu, isso ajuda a não deixá-los parado, mesmo que, às vezes, andando bem devagar.

Para me ajudar a ter controle e ainda observar a minha produtividade diária, uso o Todoist. Ele é um ótimo sistema para fazer listas. Além de podermos usar no PC, ele tem aplicativos gratuitos tanto para Android quanto para a Apple e extensões para o Chrome e Firefox. Se não bastasse isso, ele tem um sistema chamado Karma que pontua a sua produtividade (por eu ser competitiva quero sempre fazer mais pontos, o que ajuda a melhorar minha produtividade).

Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

3. Diminuir grandes tarefas em tarefas menores

Essa é uma das grandes dicas do GTD e que funciona demais. Tem tarefas que parecem impossíveis de se tornarem pequenas e sempre quando pensamos nela, sabemos que gastaremos um tempão nela. Isso nos desanima e faz com que deixemos ela sempre para depois.

Mas, acredite, sempre é possível diminuir grandes tarefas em tarefas menores. Por exemplo: arrumar o quarto é algo amplo e que demanda muito tempo, mas se você fizer uma tarefa apenas para arrumar o armário, isso já diminui bem o tempo que você gastará. E se você, mesmo assim achar que ainda vai gastar muito tempo arrumando o armário, indique a tarefa de arrumar a gaveta de blusas, isso com certeza tomará bem menos tempo do que ter que arrumar o armário inteiro ou o quarto inteiro.

Isso é perfeito para otimizar seu dia e ajuda bastante na dica que darei a seguir.

4. Aproveitar qualquer tempinho entre um compromisso e outro

Essa foi uma semana atípica para mim. Normalmente não tenho muitos compromissos (daqueles com dia e hora agendados e que não tem como adiar ou cancelar), mas essa semana tive compromissos todos os dias e às vezes mais que um no mesmo dia. Isso complica porque deixa nossos dias “picados” e os tempos entre um compromisso e outro acabam sendo perdidos porque sempre achamos que não dá para fazer nada naquele período.

Mas, se você tiver tarefas pequenas e rápidas, fica muito mais fácil encaixar nesses períodos e aproveitar qualquer 15 minutos para realizar algo útil (ao invés de ficar no Facebook, por exemplo). É isso que faz com que a nossa produtividade seja mais efetiva e que consigamos realizar mais tarefas, em menos tempo.

Foto: Reprodução/ Google
Foto: Reprodução/ Google

5. Concentrar-se ao máximo

Foco é a chave para a produtividade. Esqueça tudo enquanto estiver realizando uma tarefa. Se distraia o mínimo possível. O que tenho feito é fechar tudo o que possa me distrair, como deixar e-mail aberto no navegador, sites de notícias, etc.

Isso ajuda a terminarmos a tarefa muito mais rápido. Se quiser se permitir alguns momentos de distração, faça isso apenas quando terminar uma tarefa e for começar outra, mas nada de entrar no Facebook enh, apenas cheque seu e-mail ou algo que não te roube muito tempo. Estabeleça uns minutinhos para isso e cumpra!

6. Entender os seus limites

É importantíssimo que a gente saiba quanto tempo conseguimos ficar concentrados fazendo algo e quanto tempo nossa mente aguenta de produtividade. Não adianta você estabelecer que irá cumprir 20 tarefas em um dia, se a sua mente aguentar apenas 10.

Entender o nosso limite ajuda a gente estabelecer apenas o que poderemos cumprir e isso também ajuda a gente não se distrair pensando em como faremos para cumprir aquelas tarefas que ainda estão pendentes às 18h.

Dê ao seu corpo momentos de descanso, isso é fundamental principalmente se você trabalha em casa e costuma não ter limites. Faça pausas, estique as pernas, tome água, converse com alguém, isso ajuda a refrescar nossa mente e, quando voltamos ao trabalho, somos mais eficientes.

Ando falando demais ultimamente. É para vocês terem noção do meu nível de amor pelo GTD e por assuntos ligados à produtividade/organização.

Qual dica você nos dá para sermos mais produtivos?

 

Meus primeiros 10 dias usando o GTD

Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

Foi em uma noite de quarta-feira, mais precisamente dia 15 de outubro, que tive o meu primeiro contato com o GTD. A história começa quando em uma das minhas aulas de Estágio Docência recebi a notícia que teria que ministrar uma aula de quatro horas na próxima semana sobre Pós-Modernidade. Já encarei a labuta de ser professora em uma universidade por seis meses e, por isso, sabia que uma semana para preparar uma aula sobre uma temática nova seria pouco tempo.

Ainda teria compromissos pessoais, profissionais e uma dissertação para escrever algumas páginas. Resumidamente, a semana seria cheia e, se bobeasse, não daria conta de fazer tudo. Chegando em casa, quase 23h, lembrei do blog Vida Organizada. Havia ouvido falar porque sua dona acabara de lançar um livro e me deu um estalo de que era uma organização que precisava para encarar os dias que teria pela frente.

Dito e feito, achei a chave que precisava para enfrentar a semana sem (muitas) neuras. Na verdade fiquei louca de nervosismo e ansiedade porque além de dar aulas, seria avaliada pelo professor da disciplina, muita responsabilidade para pouco tempo de dedicação. Vale a pena eu dizer aqui que sou perfeccionista e me cobro demais, por mais que tudo esteja perfeito sempre acho que está tudo uma merda (e às vezes está mesmo). Mas, com certeza, foi muito mais fácil e organizado de encarar do que se não tivesse começado a aplicar o GTD.

Mas o que é o tal do GTD?

Quero fazer um post bem lindo explicando certinho o que é o GTD, mas para isso eu preciso me informar muito mais sobre o assunto. Para vocês não ficarem perdidos, eu resumo aqui: GTD é sigla para Getting Things Done (A arte de fazer acontecer – no português abrasileirado) que é um método de organização apresentado por David Allen no livro homônimo.

Para quem quiser saber um pouco mais antes de eu contar aqui, sugiro que entrem no blog da Thais Godinho (Vida Organizada) ou comprem o livro do próprio David Allen. Também há o site do centro de treinamento em GTD, Call Daniel, que possui algumas informações sobre o método (inclusive um e-book gratuito com os passos iniciais para a implementação).

Obs. importante: O livro do David Allen varia bastante no preço, por isso sugiro que vocês comprem apenas quando ele estiver na casa dos R$26 (claro que se não quiser desperdiçar dinheiro).

Chega de história e vamos para a ação…

Continuar lendo

6 desvantagens de trabalhar em casa

Foto: Reprodução/ Pinterest
Foto: Reprodução/ Pinterest

Tenho certeza que muitos de vocês gostariam de trabalhar em casa, afinal as vantagens de poder comandar a sua própria rotina são variadas. Mas, como tudo na vida, trabalhar em casa não tem só coisas boas. Como há quase três anos dedico a minha vida a funções que se fazem em casa, resolvi listar as desvantagens desse ambiente de trabalho:

1. Trabalhamos muito mais

Sim, é verdade. Sem ter um horário de trabalho, pode ter certeza que sua carga horária vai ultrapassar as oito horas diárias fácil, fácil. Já cheguei a trabalhar mais de 12 horas por dia. Fora que só o fato de estar na frente do computador, implica que você estará trabalhando de alguma forma.

2. Ninguém acha que você trabalha

Apesar de você passar o dia inteiro fazendo mil coisas, todo mundo tem certeza que você não faz nada o dia inteiro. E sim, isso irrita imensamente! Sempre vai ter alguém te pedindo milhões de favores bem no meio do seu “expediente”. Todo mundo acha que você está disponível para bater aquele papo ou para sair para fazer qualquer coisa.

3. O seu nível de concentração tem que ser altíssimo

Não adianta, pode morar sozinha, morar com mais gente, sempre vão ter muitas coisas que vão te distrair e te tirar a atenção daquilo que você está fazendo. É muito fácil cair na tentação de dar um pulinho na frente da TV ou ver milhares de vídeos no Youtube, afinal, não tem ninguém te fiscalizando. Ter um nível de concentração altíssimo é exigência mínima para trabalhar em casa e isso não é fácil nem para a pessoa mais comprometida do mundo.

4. Não ter horário para nada

Se você não for muito regrada, a sua vida pode facilmente virar uma loucura e você não ter mais tempo para nada, porque você vai passar mais de oito horas trabalhando facilmente. Isso também pode ser encarado de uma forma bacana, mas na maioria das vezes é apenas um empecilho para você não ter seu tempo de lazer nos dias de semana.

5. Você vai sentir falta de ver gente

A vontade de ver e falar com gente vai ser imensa. Essa vida de home office é muito solitária! Esqueça colegas de trabalho, quando eles existem são apenas online e seu contato se limita a trocas de palavras pelo Facebook e isso é muito chato. As chances de criar novas amizades e poder sair na sexta para aquele happy hour inexistem.

6. Você vai enjoar das paredes da sua casa

Vai chegar um momento que tudo o que você vai querer na sua vida é ter um novo ambiente de trabalho e que não seja a (ou na) sua casa. O problema aqui é que todo espaço da sua casa vai estar intimamente ligado ao seu trabalho e quando você estiver enjoada dele, não vai ter para onde fugir. Também é muito fácil você não ter um ambiente único e ir pulando de cômodo em cômodo dependendo da disponibilidade dele. E aqueles espaços maravilhosos de home office que vemos na internet, dificilmente será igual ao seu.

Sim, são muitas desvantagens, mas claro que também tem vantagens. Quem sabe não fale sobre isso em um próximo post, né?!

Também é bom dizer que isso varia de emprego para emprego e de pessoa para pessoa. O que pode ser uma desvantagem para mim, para você pode ser maravilhoso. E não, esse não é um post para te desanimar e sim para dizer que não existem só coisas boas ao trabalhar em casa e quando você for tomar a decisão de ter um home office, deve levar em consideração também algumas desvantagens que existem.

E para vocês, há mais vantagens ou desvantagens trabalhar em casa?

7 dicas para começar a semana bem

dicas-começar-semana-bem
Foto: Reprodução/ Pinterest

Escrevo esse post em uma noite de domingo, pensando na semana puxada que terei pela frente. E, para a semana começar bem, é importante que tudo esteja organizado e você esteja leve e tranquila. Qualquer coisa que você deixe para trás como rastro de seu final de semana, será um tempo gasto a mais na sua semana, pode acreditar.

Por isso, aqui pensando em como começar a semana mais bem organizada e tranquila, fiz uma listinha do que temos fazer para atingir esse objetivo. Veja:

1. Arrume tudo o que estiver fora do lugar

Óbvio, deixe tudo em seu devido lugar e da forma mais organizada possível. Com um quarto, uma casa e um escritório organizado fica fácil saber onde estão as coisas que você vai necessitar durante a semana, além de você não perder tempo procurando ou tentando achar um lugar para abrir seu notebook.

2. Deixe o seu e-mail em ordem

Aproveite um tempinho da noite de domingo para olhar sua caixa de e-mail e excluir todos os spams recebidos durante o final de semana. Separe os e-mails importante e que você tem que responder. Isso eliminará um tremendo tempo da sua segunda para deixar o e-mail em ordem.

3. Revise sua agenda da semana

Caso você utilize agenda, seja ela de papel ou online, revise ela também na noite de domingo. Isso ajuda a ter noção dos seus compromissos semanais e do quanto de tempo você tem disponível para se dedicar a outras coisas. Caso você guarde tudo na cabeça, aproveite para também fazer essa revisão, nem que seja mental.

4. Anote tudo o que é mais importante para a sua semana

Faça uma listinha com coisas importantes que você precisa ou quer fazer durante a sua semana. Quando colocamos no papel, temos a dimensão de como a nossa semana será. Se a lista estiver muito grande e você perceber que não dará conta, revise e veja o realmente é importante para aquela semana. O que não for, deixe separado e indicado para fazer na próxima semana.

5. Não pense em nada que ficou pra trás

Esse não é o momento para refletir sobre as coisas que você deixou de fazer na semana ou no final de semana. E muito menos o momento para compensar o tempo perdido. Acredite, uma noite tranquila ajuda a ter uma semana muito mais produtiva. Por isso, esqueça o que ficou pra trás e bola pra frente que amanhã é segunda!

6. Durma cedo

Essa talvez seja a missão mais difícil de toda a lista. Dormir cedo depois de ter descansado muito (ou não) no final de semana é fundamental. Vá para a cama um pouco antes do horário que você sempre estipula, isso ajudará o sono a vir. Aproveite para fazer coisas que não exijam muito de sua mente e que façam o sono vir. Ler ou ver vídeos são duas maneiras que uso para estimular meu sono.

7. Termine o domingo fazendo algo que você ama

Se tem algo que vai deixar a sua semana melhor mesmo, é você tirar um tempinho no domingo para se dedicar a algo que você ama. Leia, escreva, veja filmes, séries, vídeos no Youtube. Faça isso e durma bem mais leve, para começar a semana super bem.

 O que mais funciona para vocês começarem a semana bem?